18 março 2015

Entrevista com Pamela - Fofoca de Mãe

Além de querer somar na vida de vocês, quero trazer experiências pra que alguém possa se identificar e se sentir mais confortável com algumas situações. Quero apresentar pessoas novas, ou nem tanto, mas que possamos nos tornar mais próximas! 

Vou fazer entrevistas com pessoas MUITO queridas, e para começar, convidei a Pam, do Fofoca de Mãe para bater um papo.. 

Espero que gostem, tanto quanto eu gostei. :)




01. Pam, conte um pouco sobre você e Lucca. Quem são, onde moram...

Prazer, Pâmela Ghilardi, 23 anos (quase 24, hehe), gaúcha, moro no interior do RS, em uma cidadezinha chamada Sapiranga. 
Sou auxiliar administrativo, filha da Raquel e do Vanir, irmã mais velha da Paula e da Juliana, namorada do Rodrigo, mãe do Lucca Ghilardi Reichert, 2 anos e 5 meses.

02. Agora, resumidamente, fale da sua história.

Como mãe, sou uma como qualquer outra, que luta todos os dias para ter o que comer em casa e que seu filho seja o mais feliz e saudável possível.
Como mulher, sou apenas uma jovem mulher, procurando o seu caminho a seguir, com muita esperança no coração e vontade de vencer!

03. Como é sua rotina como mãe solteira?

Acordamos cedo, eu me arrumo para o trabalho e ele para escola. Como não tenho habilitação e nem carro, minha mãe ou a minha irmã nos levam para a escola e trabalho (a escola dele é uma quadra do meu trabalho).

Lucca passa o dia todo na escola e no final da tarde busco ele, com uma enorme saudade.
Ao chegar em casa, preparo janta para ele (18:30 ás 19:00), depois disso ele pode brincar com os brinquedos, desenhar, se fantasiar de super-herói. Enquanto ele brinca, dou uma tapeada na casa, lavo a louça, coloco roupa para lavar...

Ás 20:00 é a hora do banho e ele fica brincando na banheira por uns vinte minutos (é depois disso que limpo o banho, pois ele molha o banheiro inteiro) e então chega a hora de acalmar as brincadeiras e o ritmo de tudo.
Televisão com volume mais baixo, converso com ele com mais calma e em um tom mais baixo, quase sempre nessa hora ele já está deitado no sofá olhando TV, nessa hora termino o que tinha para fazer na casa e tomo meu banho.

E então as 21:00 faço mamadeira e vou deitar com ele para fazê-lo dormir e em no máximo 10 minutos ele já está dormindo.
E eu? Ah, se a casa está ok, eu já tomei banho, por que não aproveitar e dormir também? HEHE


04. De que forma isso te ajudou a amadurecer?

Me tornar mãe não me ajudou a amadurecer, foi praticamente no automático. Eu precisava me tornar mulher para poder assumir o que estava por vir e assim foi feito!


05. Como você lida com a relação de Lucca com pai e madrasta?

Me questionam muito sobre isso e é a dúvida de toda mãe solteira. 
A minha relação com o pai e a madrasta é muito tranquila, eles passaram a ter um papel muito importante na vida do Lucca e eu trabalhei muito em mim essa questão, pois sei que é apenas para o bem do Lucca!

06. Quais os princípios “paternos” você quer passar para ele?

Amiga, prefiro não falar disso, só de tentar já comecei a chorar (sorry)

07. Em algum momento, passou pela sua cabeça desistir de tudo? Fugir, sumir?

No início da gravidez sim, muitas vezes, mas minha família e minhas amigas me deram todo o apoio do mundo e me fizeram ver o quanto bom era o que estava acontecendo.
E ano passado, por mais vezes do que na gravidez, pensei em sumir, eu e o Lucca. Lucca estava ficando muito doente, o processo de regularização da guarda, falta de dinheiro para pagar médicos e remédios, depois a doença do meu pai e o falecimento dele. Pensei seriamente em pegar uma mala e fugir de tudo que pudesse me lembrar de todas as coisas ruins.

08. Como você conseguiu separar, psicologicamente, sua vida, e namorar? Foi uma grande decisão?

Acredito que foi uma das maiores decisões, procurei saber em mim o que queria.
Tinha começado a morar sozinha com Lucca há pouco tempo, estava criando a minha independência e ver como era ter uma casa e cuidar sozinha de um filho. 

Assim percebi que não queria alguém que ocupasse o papel de “pai” na vida do Lucca e nem de homem da casa.
E ao conhecer meu atual namorado percebi que ele era exatamente a pessoa que se encaixava no que eu esperava.

Ele sempre me apoia em tudo em relação ao Lucca, se preocupa, se importa, sente falta, brinca, mas não o trata como filho.

E quanto a minha casa, ele frequenta normalmente, mas não faz dela a sua casa.
No fim, isso é o que deixa segura, sei que quando preciso tenho um homem da casa e alguém para compartilhar o dia-a-dia, alegrias e frustrações do Lucca.


09. Como você administra a sua rotina, para conseguir dar conta de casa, namorado, Lucca, trabalho e blog?

A tarefa não é nenhum pouco fácil, alguma hora, sempre fico em falta com alguém, mas isso é normal, impossível dar conta de tudo.
Tento ao máximo dar atenção 100% a todos, mas nem se eu não dormisse conseguiria.
Além de casa, trabalho, namorado, Lucca, blog, instagram, também preciso lembrar de mim!

10. Até agora, qual foi (ou é) sua maior dificuldade com Lucca?

Foi enfrentar todas as doenças, noites sem dormir, preocupações sozinhas. Pois por mais que agora o pai dele seja presente, ele não sabe o que é isso.

11. Dê 05 dicas rápidas de organização para mães solteiras e, que tenham a vida agitada, assim como a sua.

Não posso dizer que sou organizada, mas tento manter tudo em seu lugar, mas também me policio para não ficar frustrada quando está fora.

Fazer pequenas coisas na casa todos os dias, alivia a limpeza pesada do final de semana. Eu aproveito o tempo que Lucca se diverte sozinho ou está no banho para fazer algo.

Usar o pouco tempo se que seu filho está tranquilo para poder fazer as coisas.

Nos finais de semana que não estou com o Lucca, aproveito para fazer tudo que não consigo fazer quando estou com ele, namorar, ir ao cinema, sair com as amigas, DORMIR, ficar sem fazer nada.

É difícil, mas precisamos fazer tudo isso pelo bem deles!


12. Dê onde tira motivação e força?

Sabe que não sei... pergunta difícil...

Meu pai e o Lucca sempre foram a minha base, meu chão. Ao perder meu pai, perdi grande parte disso e fiquei muito perdida no que deveria fazer para continuar.

Meu namorado teve enorme importância nisso, ele e o Lucca, sem eles eu não teria conseguido seguir em frente, pois até a Deus eu questionei o por que tanta coisa ruim estava acontecendo.

Todos os dias ainda busco essa força, esse motivo de continuar e compartilhar no instagram também me ajudou muito!

Falar de dor, sofrimento, angústia é algo difícil, mas escrever para pessoas que podem ter passado pela mesma coisa ajuda.

13. O que te levou a tomar a decisão de morar sozinha com Lucca? Você sentiu medo?

Uma madrinha minha me deu a dica de me inscrever, mas nunca imaginei que fosse dar certo.

Senti muito medo, pois ainda estou começando a minha carreira profissional, como conseguiria me sustentar, sustentar um filho e uma casa?

Admito que até hoje não sei como consigo, me viro em milhões para pagar as contas da casa, dar o melhor para o Lucca e também poder me divertir.

Mas hoje não voltaria para casa da minha mãe, estou construindo a minha independência, a minha vida, a minha família e nada disso tem preço que pague.

14. Deixe um recado para as mães solteiras... 

Não desistam! Chorem, se descabelem, gritem, mas se recomponham, tem um ser que precisa de vocês e que lá na frente terá muito orgulho de tudo que vocês fizeram!


Diga se a Pam não é a pessoa mais amor? Como eu demorei tanto tempo para conhece-la? 
Vocês conseguem falar com ela atráves desses contatos aqui embaixo! :)

Instagram: @fofocademae
Contato: fofocademae@gmail.com

Obrigada por ter participado Pam, já te disse isso! Você é INCRÍVEL e Lucca terá muito orgulho da mamãe! 

Você é mãe solteira? Tem alguma história similar? Me conte aqui nos comentários!

Beijos,